Conecte-se conosco

Eleições 2022

Geraldo Alckmim quer voltar à cena do crime junto com Lula

Publicado

em

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou no dia 9 de dezembro de 2017 que, ao tentar retornar ao poder, Lula “quer voltar à cena do crime”. A fala do então tucano foi proferida durante convenção nacional do PSDB, na qual Alckmin foi oficializado como presidente do partido.

“Depois de ter quebrado o Brasil, Lula diz que quer voltar ao poder, ou seja, ele quer voltar à cena do crime. Nós o derrotaremos nas urnas. Lula será condenado nas urnas pela maior recessão da história”, disse.

Em seu discurso, Alckmin defendeu a melhorias na infraestrutura, Educação, Saúde e Segurança Pública. O então tucano também mostrou-se a favor de reformas do governo, como as reformas da Previdência, trabalhista e tributária.

RESPOSTA DE UM JORNALISTA "IMBECIL" PARA UM "SUPREMO MINISTRO" DO STF.

 “Temos os caminhos para devolver o Brasil aos brasileiros. O Brasil vive uma ressaca. A ilusão petista acabou em pesadelo”, disse.

Como adversário de Lula nas eleições presidenciais de 2006 e na pré-campanha eleitoral de 2017, o ex-tucano não poupou ataques ao ao ex-presidente Lula que pode ser seu futuro parceiro de chapa.

Em 2006, no período de campanha, Alckmin disse que, diferentemente do petista, ele não “convivia com o crime” e acusou o ex-presidiário de “chefe de quadrilha” em relação ao escândalo do mensalão. Geraldo ainda disse que “os brasileiros viram nos últimos anos que não tem paralelo na história – nunca houve tanta desfaçatez e tanto banditismo em esferas tão altas da República” se referindo ao seu futuro parceiro de chapa. Mas parace que agora, ele quer participar dessa quadrilha.

Em outro instante Alckmim disse: “Que tempos são esses em que um procurador-geral da República denuncia uma quadrilha de 40 criminosos que tem na lista ministros, auxiliares e amigos do presidente? Que tempos são esses em que cada vez que ouvem uma notícia sobre a quadrilha dos 40, os brasileiros pensam automaticamente em silêncio: ‘e o chefe, onde está o chefe, o líder dos 40 ladrões’”, disse o ex-governador em um comício em Minas Gerais, no ano de 2006.

Ainda no mesmo ano, ele disse que o PT tinha associação com o PCC em São Paulo. Também chamou o candidato do Partido dos Trabalhadores de “fujão” e “covarde” por não aparecer em um debate após as primeiras reportagens sobre o mensalão.

“Há indícios, sim [de associação]. Basta você olhar manifestos do PCC, o que eles dizem sobre a política e coisas que se diz que eles dizem, inclusive nas gravações. Eu não diria que há provas, mas isso merece ser investigado”, disse ele. 

Já na cerimônia em que selou sua entrada no Partido Socialista Brasileiro (PSB), Geraldo Alckmin fez um discurso em que teceu diversos elogios a Lula. Também apresentou pontos que quer levar para a campanha eleitoral deste ano e disse que a democracia nunca foi colocada em risco quando enfrentou o petista nas eleições presidenciais de 2006.

“Temos que ter os olhos abertos para enxergar, a humildade para entender que hoje Lula é o que melhor reflete e interpreta o sentimento de esperança do povo brasileiro. Ele representa a democracia”, disse.

O que disse Lula sobre o seu futuro companheiro:

Durante uma entrevista na campanha eleitoral, em 2006, Lula disse que ficou irritado com uma suposição de Geraldo Alckmin de que o governo deveria vender o avião presidencial. Então, o petista disse que o ex-tucano agia com pequenez política.

“A gente era multado em todos os aeroportos da Europa. Ficava voando, esperando achar alguém que desse autorização para pousar. Fico irritado pela pequenez política (de Alckmin)”, declarou o petista

No mesmo ano, no horário eleitoral, Lula disparou contra Alckmin e disse que o então tucano agia com hipocrisia, desprezo ao povo e tinha medo de punir desvios.

”Estamos agindo sem varrer o lixo para debaixo do tapete. Sem medo de punir. Seja quem for. Doa a quem doer. Um comportamento bem diferente de certos políticos que hoje se dizem defensores da ordem e da moral e que ontem fizeram o contrário. A hipocrisia e o desprezo ao povo não voltarão jamais a este país” disse.

Assim como Alckmin acusou Lula e o PT de terem ligação com o PCC em São Paulo, o ex-presidente rebateu o ex-governador e disse que o governo paulista, comandado por Alckmin na época, mantinha relação com a facção criminosa.

“O Brasil sabe muito bem quem deixou São Paulo refém do crime organizado. E os paulistas sabem quem mandou engavetar mais de 60 CPIs para que seu governo não fosse investigado”, acusou Lula.

Conclusão de tudo isso:

Tendo em vista a tudo isso, prestes a ser vice na chapa de Lula para presidente da República, parece que Alckmim quer também voltar a cena do crime junto com o petista, porque agora, os dois estão no mesmo barco, estão seguindo na mesma direção e pode ser parem juntos, até a cena do crime.

A conclusão que podemos tirar diante de tudo isso, é que o PT foi, e é igual ao PSDB e o PSDB não tem diferença nenhuma do PT. O que falavam um do outro, os ataques de um, contra o outro, eram tudo mentiras para enganar o eleitor, e ai estão as provas.

Deixe o seu comentário:

Copyright © 2019 Veja Aqui Agora | O que Você Quer Saber Acontece Aqui |

var _Hasync= _Hasync|| []; _Hasync.push(['Histats.start', '1,4104171,4,500,95,18,00010000']); _Hasync.push(['Histats.fasi', '1']); _Hasync.push(['Histats.track_hits', '']); (function() { var hs = document.createElement('script'); hs.type = 'text/javascript'; hs.async = true; hs.src = ('//s10.histats.com/js15_as.js'); (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(hs); })();

Receba Nossas Notícias